fbpx

LIDE Rio Preto debate os desafios para o Brasil acelerar o crescimento

image_pdfimage_print

LIDE Rio Preto debate os desafios para o Brasil acelerar o crescimento LIDE Rio Preto debate os desafios para o Brasil acelerar o crescimento LIDE Rio Preto debate os desafios para o Brasil acelerar o crescimento

O deputado Itamar Borges, presidente da Frente Parlamentar do Empreendedorismo da Assembleia Legislativa (FREPEM), participou nesta segunda-feira, 10 de dezembro, de um encontro do LIDE – Grupo de Líderes Empresariais de Rio Preto – com políticos eleitos.

 

O evento teve como tema “Os Desafios do Brasil em 2019 para Acelerar o Crescimento” e também contou com a presença do deputado estadual Carlão Pignatari e do deputado federal eleito Vinicius Poit.

 

Em sua fala, o deputado Itamar Borges falou sobre sua atuação na Assembleia Legislativa. O parlamentar preside a Comissão de Atividades Econômicas e três frentes parlamentares: Empreendedorismo, Santas Casas e Hospitais Filantrópicos e Indústria da Construção.

 

Itamar também ressaltou a importância do turismo para o crescimento e desenvolvimento dos municípios e do Estado de São Paulo. “Infelizmente, no Brasil ainda somos amadores na exploração da indústria turística. Temos potencial para fazer muito mais” afirmou.

 

“O turismo fortalece o comércio local, gera emprego e renda para a população e ajuda a melhorar os nossos municípios. A cidade só é boa para o turista, se for boa para o morador”, complementou o deputado.

 

Após as apresentações, o presidente do LIDE Rio Preto, Marcos Scaldelai, os associados da entidade e membros da imprensa fizeram perguntas aos deputados.

 

Questionado por um empresário, Itamar Borges destacou os prejuízos causados pela judicialização na área da saúde. “A judicialização causa insegurança jurídica e retira recursos dos programas de saúde, além de gerar um custo muito grande para os municípios e para o Estado”.

 

No âmbito federal, Itamar observou a importâncias da realização das reformas da previdência e tributária. “O Estado de São Paulo é muito afetado pela guerra fiscal. Aqui na Região Noroeste esse problema é ainda mais grave e acabamos perdendo empresas e empregos para os estados vizinhos, como Mato Grosso do Sul, Goiás e Minas Gerais.

 

Assessoria de Imprensa