fbpx

13º Congresso da Micro e Pequena Indústria aborda conectividade e perspectivas para o futuro dos negócios

13ª Congresso da Micro e Pequena Indústria aborda conectividade e perspectivas para o futuro dos negócios 13ª Congresso da Micro e Pequena Indústria aborda conectividade e perspectivas para o futuro dos negócios 13ª Congresso da Micro e Pequena Indústria aborda conectividade e perspectivas para o futuro dos negócios O deputado estadual Itamar Borges, presidente da Frente Parlamentar do Empreendedorismo e Combate à Guerra Fiscal, da Alesp, participou, nesta segunda-feira, 27 de maio, do 13º Congresso da Micro, Pequena e Média Indústria (MPI) da Fi
esp.
Nesta edição, o Congresso MPI traz o tema “Conecta Indústria: Faça seu negócio estar presente no futuro”. Com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento e sucesso das micro e pequenas indústrias, o evento envolve palestras, debates e workshops variados, Ideathon, entre outras atividades.
“A palavra de ordem é reinventar, analisar, estudar e planejar para enfrentar a crise e este congresso apresenta novas oportunidades para as MPEs”, destaca o deputado Itamar Borges, ao falar da importância do evento e do tema escolhido.
O presidente da Fiesp, Paulo SKaf, e o diretor titular do Departamento da Micro, Pequena, Média Indústria e Acelera Fiesp, Sylvio Gomide, fizeram a abertura das atividades desta segunda.
Logo após, a presidente do Conselho de Administração do Magazine Luiza, Luiza Helena Trajano, falou aos participantes como transformou uma rede de lojas do interior de São Paulo em uma das maiores e mais conceituadas do mercado varejista, com dicas sobre gestão, empreendedorismo, tecnologia e inovação.
O vice-presidente da Fiesp, José Ricardo Roriz Coelho, que assumirá a presidência da entidade depois de 7 de junho, quando Paulo Skaf se afastará para concorrer ao governo de São Paulo pelo MDB, fez uma palestra sobre política industrial, abordando as tendências tecnológicas que irão transformar os negócios.
Em sua aprofundada análise, Roriz sugeriu que o Brasil precisa de um governo 4.0 e que o momento pede uma discussão sobre política industrial, tanto para o estado de São Paulo como para o País.
“O Brasil, infelizmente, vem sofrendo quedas consecutivas da taxa de investimentos e corre o risco de chegar atrasado para a quarta revolução industrial”, afirmou o empresário.
Durante o evento, realizado nos dias 27 e 28 de maio, foram apresentados os principais desafios da adoção nas novas tecnologias nos negócios, e como isso, irá impactar o dia a dia das empresas, tais como: inteligência artificial; Big data & Analytics; IoT – coisas inteligentes; Indústria 4.0; Blockchain; Profissionais do Futuro, entre outros.
Assessoria de Imprensa